Celinet

HMC

VN Promotora

Loja Minas

Rannon

Rogério Monteiro Notícias

Mulher engravida duas vezes na mesma gestação em caso raro na medicina em Lagarto


 Para algumas pessoas, descobrir que estão grávidas de um bebê é um choque. Mas você pode imaginar descobrir que está grávida de um segundo filho… enquanto já está grávida de um? Embora esse cenário pareça algo saído de um filme, é algo real. Uma gravidez dupla como essa é medicamente referida como superfetação, que só pode ocorrer em algumas circunstâncias específicas. Mas você deve saber de antemão que a superfetação é especialmente rara.

Pesquisas sugerem que a superfetação só pode acontecer em uma dentre alguns milhões de gestações; e acredita-se que haja menos de 10 casos relatados na literatura médica.

CASO EM LAGARTO 

A corretora Joice Carvalho Vieira, 22 anos, moradora do Centro de Lagarto, está esperando duas meninas. Ela engravidou duas vezes numa mesma gestação. Na última quinta-feira (11/02), Joice descobriu, através do ultrassom, que uma das meninas é 15 dias mais velha que sua irmã a primeira com 33 semanas, a segunda com 35. “São duas bolsas e duas placentas.”, explica a jovem ao repórter Laelson Correia.

O acompanhamento da gestação está sendo feito em Aracaju, seu médico já avisou que é necessário repouso absoluto e que, apesar da data prevista de nascimento ser para o dia 20/03, o parto pode acontecer a qualquer momento, por conta da condição especial.

HISTÓRICO “Eu tive uma filha em 2018, ela nasceu com atresia de esôfago, foi feita uma cirurgia, porém sem sucesso - ela não alimentava-se pela boca, só por sonda. Com um ano e 11 meses conseguimos a segunda cirurgia para reconstruir o esôfago; infelizmente ela não resistiu ao pós-operatório e faleceu. Decidimos ter outro filho, para preencher o vazio que nos torturava. Foi quando engravidei novamente, agora de gêmeas. Deus nos proporcionou em dobro o que perdemos, me deu uma gestação rara para mostrar que ele é um Deus do impossível”, relata Joice.

GAVIDEZ DE RISCO 

O plano de saúde não cobre parto cesáreo e a jovem apela para que algum médico no Estado sensibilize-se por sua condição rara e o faça. 

“Os bebês podem nascer prematuros. O médico já me passou injeções para acelerar o desenvolvimento dos pulmões, temo pela saúde delas”, diz a futura mamãe. 

Fonte: Repórter Laelson Correia.

0/Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem