Celinet

HMC

VN Promotora

Loja Minas

Rannon

Rogério Monteiro Notícias

Produção de suínos cresceu aproximadamente 31,79% em Sergipe


 Nos últimos três anos, o plantel sergipano de suínos cresceu aproximadamente 31,79%, passando de 345.135 animais, em 2019, para 454.714 animais, em 2022. Os dados foram apresentados pela Empresa de Desenvolvimento Agropecuário (Emdagro), que confirma que o crescimento que se deu, principalmente, motivado pela subida do preço da carne bovina, concomitantemente à melhora na produtividade e ao aumento do peso e da qualidade dos plantéis.

Pelos dados da Emdagro, a maior concentração de suínos se encontra na Região do Alto Sertão Sergipano, onde também se localiza a bacia leiteira do Estado. O município de Nossa Senhora da Glória é o que possui maior rebanho, com 83.373 suínos, seguido de Itabaiana, com 48.778 animais, e Porto da Folha, com 29.445. De acordo com a diretora de Defesa Animal e Vegetal da Emdagro, Maria Aparecida Andrade Nascimento, a maior parte da produção segue para abate. 

“A suinocultura atende principalmente ao mercado interno, caracterizando-se por ser predominantemente de abate, com 48% dos animais movimentados, seguido de engorda, com 39%, evento com 12% e reprodução com 1%, exclusivamente de animais que ingressam de Granjas de Reprodutores Suídeos Certificados (GRSC). Os principais fornecedores de suínos para o Estado de Sergipe são os estados de Minas Gerais, Paraná e Bahia, e os maiores compradores são os estados de Alagoas e Bahia”, explica a diretora.

Segundo o presidente da Emdagro, Jefferson Feitoza de Carvalho, um dos pontos fortes da produção sergipana é a confiabilidade na procedência do rebanho. “Desde 2016 que Sergipe recebeu da Organização Mundial de Sanidade Animal (OIE), e mantém, a certificação internacional como área livre da Peste Suína Clássica (PSC). Sergipe e Bahia são os únicos estados do Nordeste com esse reconhecimento. Essa conquista só demonstra a eficácia do trabalho desenvolvido pela empresa, que é um órgão do Governo do Estado, vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pesca, na área de defesa animal”, declara Jefferson Feitoza.

Isabelli Leal de Queiroz, médica veterinária chefe da Divisão de Epidemiologia da Emdagro, explica que o trânsito é de extrema importância, uma vez que é proibido o ingresso de suínos, seus produtos e subprodutos quando provenientes de unidades federativas não livres de PSC. “Com o propósito de salvaguardar o plantel suíno do Estado, a Emdagro mantém três postos de fiscalização funcionando 24 horas por dia, sete dias por semana, localizados de forma estratégica na divisa com os estados, além das atividades da fiscalização móvel, que monitora de forma estratégica o trânsito nas rodovias, as aglomerações animais e outros eventos agropecuários”, informa.

Fonte: F5 News.

0/Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem